Essa página depende do carramento de javascript. Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
×

Aviso

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 576

Áudios

Biblioteca de áudios do HGuJP


Você sabe de onde eu venho?
Venho do morro, do Engenho,
Das selvas, dos cafezais,
Da boa terra do coco,
Da choupana onde um é pouco,
Dois é bom, três é demais,
Venho das praias sedosas,
Das montanhas alterosas,
Dos pampas, do seringal,
Das margens crespas dos rios,
Dos verdes mares bravios
Da minha terra natal.

Por mais terras que eu percorra,
Não permita Deus que eu morra
Sem que volte para lá;
Sem que leve por divisa
Esse “V” que simboliza
A vitória que virá:
Nossa vitória final,
Que é a mira do meu fuzil,
A ração do meu bornal,
A água do meu cantil,
As asas do meu ideal,
A glória do meu Brasil.

Eu venho da minha terra,
Da casa branca da serra
E do luar do meu sertão;
Venho da minha Maria
Cujo nome principia
Na palma da minha mão,
Braços mornos de Moema,
Lábios de mel de Iracema
Estendidos para mim.
Ó minha terra querida
Da Senhora Aparecida
E do Senhor do Bonfim!

Você sabe de onde eu venho ?
E de uma Pátria que eu tenho
No bojo do meu violão;
Que de viver em meu peito
Foi até tomando jeito
De um enorme coração.
Deixei lá atrás meu terreno,
Meu limão, meu limoeiro,
Meu pé de jacarandá,
Minha casa pequenina
Lá no alto da colina,
Onde canta o sabiá.

Venho do além desse monte
Que ainda azula o horizonte,
Onde o nosso amor nasceu;
Do rancho que tinha ao lado
Um coqueiro que, coitado,
De saudade já morreu.
Venho do verde mais belo,
Do mais dourado amarelo,
Do azul mais cheio de luz,
Cheio de estrelas prateadas
Que se ajoelham deslumbradas,
Fazendo o sinal da Cruz!

Escrito por Administrador do Site

Publicado em Hinos

Leia mais ...

  • 21/10/16
  • 11h55

Neste solo onde as três raças nos legaram
O embrião do sentimento de nação
Hoje eu sou um descendente desses bravos
Sou soldado, com orgulho e vibração

No nordeste, Pernambuco, Alagoas
Paraíba e mais o estado potiguar
Delimitam onde eu levo a minha ação, mas
Guararapes tem que ser o meu altar
Pátria Brasil, Pátria Brasil!
Exército forjado no ideal nação.

Pátria Brasil, Pátria Brasil!
O negro, o branco e o índio,
Um só coração.

Pátria Brasil, Pátria Brasil!
Matias de Albuquerque minha Região.
Pátria Brasil, Pátria Brasil!
A fibra do herói
Pulsa em meu coração.

Sou da 7ª RM presto apoio
Nos quartéis, no campo ou em operações.
No agreste, no sertão, zona da mata,
Braço forte mão amiga tradições...

Do passado herdei a força para vencer
Não importa onde ameaça possa estar
Se o Brasil chamar vou lá para combater, mas Guararapes tem que ser o meu altar!

Pátria, Brasil!

Escrito por Administrador do Site

Publicado em Hinos

Última modificação em Segunda, 24 de Outubro de 2016, 11h22

Leia mais ...

  • 21/10/16
  • 11h41

Nós somos da Pátria a guarda,
Fiéis soldados,
Por ela amados.
Nas cores de nossa farda
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

Em nosso valor se encerra
Toda a esperança
Que um povo alcança.
Quando altiva for a Terra
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.
A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor.
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor.

Como é sublime
Saber amar,
Com a alma adorar
A terra onde se nasce!
Amor febril
Pelo Brasil
No coração
Nosso que passe.
E quando a nação querida,
Frente ao inimigo,
Correr perigo,
Se dermos por ela a vida
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.
Assim ao Brasil faremos
Oferta igual
De amor filial.
E a ti, Pátria, salvaremos!
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor.
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor.

Escrito por Administrador do Site

Publicado em Canções

Última modificação em Quinta, 30 de Abril de 2015, 05h53

Leia mais ...

  • 30/04/15
  • 00h00

Se a Pátria querida for envolvida
Pelo inimigo, na paz ou na guerra
Defende a terra
Contra o perigo

Com ânimo forte se for preciso
Enfrenta a morte
Afronta, se lava com fibra de herói
De gente brava

Bandeira do Brasil
Ninguém te manchará
Teu povo varonil
Isso não consentirá

Bandeira idolatrada
Altiva a tremular
Onde a liberdade
É mais uma estrela
A brilhar

Escrito por Administrador do Site

Publicado em Hinos

Última modificação em Quinta, 30 de Abril de 2015, 05h41

Leia mais ...

  • 30/04/15
  • 00h00

Sobre a história da Pátria, ó Caxias,
Quando a guerra troveja minaz,
O esplendor do teu gládio irradias,
Como um íris de glória e de paz.
Salve, Duque Glorioso e sagrado
Ó Caxias invicto e gentil!
Salve, flor de estadista e soldado!
Salve, herói militar do Brasil.

Foste o alferes, que guiando, na frente,
O novel pavilhão nacional,
Só no Deus dos exércitos crente,
Coroaste-o de louro imortal!

Salve, Duque Glorioso e sagrado
Ó Caxias invicto e gentil!
Salve, flor de estadista e soldado!
Salve, herói militar do Brasil.

De vitória em vitória, traçaste
Essa grande odisséia, que vai
Das revoltas que aqui dominaste,
Às jornadas do atroz Paraguai.

Salve, Duque Glorioso e sagrado
Ó Caxias invicto e gentil!
Salve, flor de estadista e soldado!
Salve, herói militar do Brasil.
Do teu gládio sem par, forte e brando,
O arco de ouro da paz se forjou,
Que as províncias do Império estreitando
À unidade da Pátria salvou.
Salve, Duque Glorioso e sagrado
Ó Caxias invicto e gentil!
Salve, flor de estadista e soldado!
Salve, herói militar do Brasil.

Em teu nome ó Caxias, se encerra
Todo ideal do Brasil militar:
Uma espada tão brava na guerra,
Que fecunda na paz a brilhar!

Salve, Duque Glorioso e sagrado
Ó Caxias invicto e gentil!
Salve, flor de estadista e soldado!
Salve, herói militar do Brasil.

Tu, que foste, qual fiel condestável,
Do dever e da lei o campeão
Sê o indígete sacro o inviolável,
Que hoje inspire e proteja a Nação!

Salve, Duque Glorioso e sagrado
Ó Caxias invicto e gentil!
Salve, flor de estadista e soldado!
Salve, herói militar do Brasil.

Escrito por Administrador do Site

Publicado em Hinos

Última modificação em Quinta, 30 de Abril de 2015, 05h41

Leia mais ...

  • 30/04/15
  • 00h00

1
Salve lindo pendão da esperança!
Salve símbolo augusto da paz.
Tua nobre presença à lembrança.
A grandeza da Pátria nos traz.
Refrão
Recebe o afeto que se encerra.
Em nosso peito juvenil1 ,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!
2
Em teu seio formoso retratas.
Este céu de puríssimo azul,
A verdura sem par destas matas,
E o esplendor do Cruzeiro do Sul.
(Refrão)
3
Contemplando o teu vulto sagrado,
Compreendemos o nosso dever,
E o Brasil por seus filhos amado,
Poderoso e feliz há de ser!
(Refrão)
4
Sobre a imensa nação brasileira,
Nos momentos de festa ou de dor,
Paira sempre sagrada bandeira,
Pavilhão da justiça e do amor!
(Refrão)

Escrito por

Publicado em Hinos

Última modificação em Quinta, 30 de Abril de 2015, 05h42

Leia mais ...

  • 22/12/13
  • 00h00

Composição: S Ten AMARO

Tarefa árdua, missão honrosa,
Buscando sempre vidas salvar.
É a saúde, que fervorosa,
Tem como lema desempenhar.

(Refrão)
Avante hospital, avante!
Com o teu quadro para nos curar.
Em ti estamos todos confiantes;
Tudo faremos para te ajudar.

Da antiga base estrutural,
Nasceu a grande transformação.
E hoje temos um hospital
Como um complexo de guarnição.

(Refrão)
Avante hospital, avante!
Com o teu quadro para nos curar.
Em ti estamos todos confiantes;
Tudo Faremos para te ajudar.

Atendimento, no ambulatório,
Na enfermagem, Na internação,
Odontomédico, laboratório;
Aos militares desta nação.

(Refrão)
Avante hospital, avante!
Com o teu quadro para nos curar.
Em ti estamos todos confiantes;
Tudo Faremos para te ajudar.

Escrito por

Publicado em Canção do Órgão

Última modificação em Sábado, 02 de Mai de 2015, 01h01

Leia mais ...

  • 22/12/13
  • 00h00

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante,
E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da Pátria nesse instante.

Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó Liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.

Gigante pela própria natureza,
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza

Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

Deitado eternamente em berço esplêndido,
Ao som do mar e à luz do céu profundo,
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
Iluminado ao sol do Novo Mundo!

Do que a terra mais garrida
Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;
"Nossos bosques têm mais vida",
"Nossa vida" no teu seio "mais amores".

Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!

Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado,
E diga o verde-louro desta flâmula
- Paz no futuro e glória no passado.

Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.

Terra adorada
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!

Escrito por

Publicado em Hinos

Última modificação em Quinta, 30 de Abril de 2015, 06h01

Leia mais ...

  • 22/12/13
  • 00h00

Nós soldados do corpo de Saúde,
Sem temermos o rugido da metralha.
Aos heróis que tombam na vanguarda,
Lhes levamos o socorro na batalha.

Nós soldados do corpo de Saúde,
Não usamos a força do fuzil.
Pelejamos ao lado da ciência,
Pela glória e pela honra do Brasil.

Fiéis servos, somos nós da medicina;
Seja na guerra, seja nos dias de paz.
Combatendo pelo bem da humanidade,
Sem vacilarmos e sem descanso jamais.

Nosso lema é prestar a caridade,
Ao moribundo, ao ferido, ao mutilado.
Procurando amenizar o sofrimento,
E bem servir ao nosso Brasil adorado.

Escrito por

Publicado em Canções

Última modificação em Quinta, 30 de Abril de 2015, 05h54

Leia mais ...

  • 22/12/13
  • 00h00

Desta gente soma e parcela,
No presente seu futuro faz,
É vontade que luta e zela
Pela ordem, segurança e pela paz
Responsável, moderna liderança,
Braço forte, defesa destemida,
Na coragem, lealdade e confiança,
Ao irmão a mão amiga estendida.

Fusão de raças, forte semente,
Em Guararapes pujante surgiu,
Presença nacional no continente,
É a Força Terrestre do Brasil,
É a Força Terrestre do Brasil.

Reverente à ordem e à disciplina,
O Exército constrói a sua história,
Suas armas, ciência e doutrina,
Seu passado de luz e de glória.
De Caxias e do estelar cruzeiro,
Sabre honrado voltado à missão,
Povo bom, valente, altaneiro,
Verde-Oliva vestindo o coração.

Fusão de raças, forte semente,
Em Guararapes pujante surgiu,
Presença nacional no continente,
É a Força Terrestre do Brasil,
É a Força Terrestre do Brasil.

Escrito por

Publicado em Hinos

Última modificação em Quinta, 30 de Abril de 2015, 06h00

Leia mais ...

  • 22/12/13
  • 00h00
Fim do conteúdo da página